Conversação com Estúdio Miopia #1

O Miopia é Carol Maia e Gustavo Magalhães. Sem pausa e sem descanso desde 2013.

Estúdio Miopia

Rubrica: Como foi e quando surgiu a ideia de fundar o Miopia? Como atua a equipe de vocês?
Estúdio Miopia: O Gustavo trabalhava na área aeronáutica como projetista, eu (Carol) já tinha trabalhado com design gráfico e fotografia, mas na época tinha meio que largado mão disso tudo, e dava aula de espanhol. Em 2013, o Gu já tinha a CHCL (banda), e o Miopia surgiu na necessidade de fazer merchs e cartazes pra banda. Ele ilustrava, eu coloria, e a gente diagramava meio que junto. Nessa as coisas foram acontecendo, tomando forma e fomos aprendendo a trabalhar. As demandas foram começando a chegar com bandas de amigos e resolvemos dar um nome pra “isso” que estava surgindo.
Hoje em dia, mantivemos mais ou menos como no começo, as ilustrações são sempre parte do Gu, geralmente eu faço a colorização, e a diagramação varia um pouco, as vezes é minha, as vezes dele.

 

Rubrica: Vocês tem formação na área ou algum curso bacana que tenha ajudado a entender mais sobre Design? O que aconselham para quem está buscando material para estudar?
Estúdio Miopia: Eu (Carol) me formei em web design, mas nunca exerci como web, só gostava da parte do design mesmo…haha…Trabalhei como designer gráfica em uma (falecida) agência de marketing cultural em Taubaté – SP e como fotógrafa também. Fiquei meio afastada por um tempo, e voltei com o Miopia em 2013/14. Atualmente tenho estudado lettering, e tentado me desenvolver melhor nessa área.
O Gustavo desenha desde criança, mas sua formação é em mecânica, onde trabalhou por quase 10 anos como projetista aeronáutico. Não tem nenhuma formação na área que atuamos hoje, mas o danado tem um senso estético que é difícil de encontrar em faculdades.
Mas estando juntos, como Miopia, a gente acaba sentindo falta de uma formação quando trabalhamos com grandes agências e você meio que “perde espaço” por não ter um diploma bonito que em muitos casos, ainda fala mais alto que seu portfolio.
E onde acabamos fazendo cursos ótimos e bem específicos são em plataformas como Domestika e Skillshare, que tem muitas opções sensacionais e para diversas áreas.

 

Rubrica: Como normalmente funciona o processo de desenvolvimento de um cartaz de vocês?
Estúdio Miopia: Sempre tentamos envolver o cliente ao máximo, buscando ideias e referências, não só para os cartazes, mas em todos os trabalhos. Para amadurecer a ideia o Gu rascunha algo bem jogado no papel, passa pro ipad, e lá vai finalizando os traços. Terminando, ele me envia para fazer a colorização – também no digital. E finaliza quem está mais envolvido ou com mais tempo…hahaha
Mas é basicamente isso, usamos papel, ipad (Procreate) e Photoshop/Illustrator.

 

Estúdio Miopia

Rubrica: Hoje com tudo basicamente criado diretamente pro Digital, o quanto o manual e o impresso está envolvido na hora de produzir para vocês?
Estúdio Miopia: Olha, honestamente, já esteve mais presente…hahaha…Não tem como negar o quanto o digital tem facilitado e agilizado todos os processos, mas as vezes bate uma saudade, e quando temos tempo disponível, acabamos fazendo um trabalho mais “old school”, com papel, nanquim e tal.
No geral, é como respondemos acima, mas quando queremos um processo mais manual a mesa de luz é fundamental. É o rascunho mais tosco em uma folha, que fica um pouco mais refinado em outra folha, que vai pro nanquim em outra folha. Depois de seco é digitalizado, vai pro photoshop e a colorização e finalização é sempre digital.

 

Rubrica: Além de fazer muitos trabalhos para bandas nacionais, vocês já fizeram muita coisa pra fora, de que forma surgiu esses jobs? Alguma dica para quem divulgar seus trabalhos fora do Brasil?
Estúdio Miopia: O fato do Gu ter banda no começo do estúdio ajudou muito, porque ele acabava fazendo muito contato com outras bandas de todo canto, produtores, etc. E o boca a boca, o amigo indica, sempre é o melhor cartão. Mas ter um site, Behance e Instagram atualizados com frequência é muito importante, já tivemos ótimas oportunidades que vieram por essas mídias. E também contamos com a “cara de pau”. De tempos em tempos a gente envia email, interage nas redes sociais com produtores e etc na intenção de apresentar o nosso trabalho e as vezes surge uma oportunidade legal. Mas sobre tudo, produzir com regularidade. Ainda mais em épocas de algorítimos.

 

Rubrica: Queria que vocês falassem um pouco o que inspira vocês? E o que indicam para quem está lendo essa entrevista? Na indicação pode ser artistas, estúdios, filmes, documentários, podcasts ou o que quiserem…
Estúdio Miopia: Caramba, é muita coisa. No meu caso (Carol) atualmente tenho acompanhado bastante muralistas, tanto com ilustras quanto com lettering – adoro o perfil @ladieswhopaint , sempre conheço mulheres fodas por lá. Os maravilhosos do Bicicleta sem Freio também são uma referência enorme pra mim em muitos sentidos. E nesse balaio de gente foda, coloco alguns artistas de lettering que não tem como não amar como o @joaomaiolini , @vanessa.kinoshita , @samuellenzi e por aí vai. E o que faço pra conhecer gente nova, é seguir algumas hashtags, como por exemplo a #goodtype e #typographyinspired
Já o Gu segue bastante o pessoal do @bicicletasemfreio, @joncontino, @pedrooyarbide , @closeradcloserco, @estudiocaxa, @joshuanoon entre varios outro.

 

Rubrica: Existe algum sonho quem gostariam de atingir com o Miopia? O que vocês têm planejado para os próximos semestres que possam compartilhar com nós?
Estúdio Miopia: Lançar uma publicação contando um pouco desses anos de estudio, temos quase todo histórico de material guardado. E nesse exato momento de crise mundial, a meta é sobreviver mesmo…hahahahah…brincadeiras a parte, mas é real…hahahah

 

Rubrica: Muito obrigado pelo o tempo de vocês.
Estúdio Miopia: A gente quem agradece o carinho e o espaço <3

 

Alguns trabalhos do Estúdio Miopia:

previous arrownext arrow
Slider

 

Estúdio Miopia nas redes:
Instagram: @estudiomiopia
Portfólio: www.behance.net/estudiomiopia
Site Oficial: estudiomiopia.com